As dores do puerpério

O puerpério é um momento muito importante e intenso na vida da mulher e não tem tempo determinado para terminar. No geral, se encerra em aproximadamente 6 semanas (ou quarenta dias) para mulheres que que não amamentam, e em até 8 meses para as que amamentam.

Neste período, a nova mãe experimenta modificações físicas, emocionais e espirituais, que variam de acordo com a preparação para o parto que realizaram e com a idealização do bebê que construíram em seu imaginário. É nessa fase que muitas mulheres passam a ter dificuldade em se conectar com o bebê real, que é muito diferente do que se esperava.

Até algum tempo atrás, o período pós-parto era de repouso e exclusiva atenção ao recém-nascido, com suporte familiar das mulheres mais experientes. As mães vivenciavam o pós-parto uma das outras, seja com tias, primas ou vizinhas. Atualmente, ao viver em grandes centros, afastadas das famílias, dificilmente as mulheres tem acesso a uma rede de apoio. Estão sozinhas e com uma grande desestruturação emocional causada pela mudança do seu papel social de mulher à mãe. Ficam muito solitárias tentando dar conta do desconhecido e muitas vezes preocupadas com o retono ao trabalho.

Segundo Laura Gutman, em seu livro “A maternidade e o encontro com a própria sombra”, a mulher puérpera não deve ficar isolada durante muito tempo. Precisa de assistência, companhia e disponibilidade de outra pessoa que não interfira nem abuse de sua autoridade, que não a julgue nem se intrometa, mas que esteja presente.

É preciso, portanto, criar uma consciência coletiva feminina para que as mulheres se deem conta de que a criança recém-nascida depende do equilíbrio emocional da mãe. E a puérpera precisa de tempo e espaço para se adaptar à essa nova vida. Vamos então ter mais empatia e amor. Ofereça apoio, carinho, atenção a quem estiver passando por esse período tão importante. ❤️