Conheça as soluções para lidar com mamilos feridos na amamentação

Quando pensamos em uma mulher amamentando um recém nascido, a cena que geralmente nos vem à mente é plácida. Uma mãe que pariu há poucos dias, penteada, arrumada e com olhar sereno, oferecendo o peito ao bebê que mama tranquilamente.

Na vida real nem sempre funciona assim. Em pleno puerpério, a mulher está passando por alterações hormonais, noites em claro e pela adaptação à nova rotina, muitas vezes sem rede de apoio. Em meio a esse turbilhão físico e emocional é comum que surja, logo nos primeiros dias de vida do bebê, mais um desafio: amamentar com os mamilos feridos.

Hoje se sabe que medidas para preparar os seios para a amamentação durante a gestação surtem pouco ou nenhum resultado. A única medida possível, antes do nascimento do bebê, é munir-se de informação para lidar com o que está por vir. Entender como o recém nascido deve abocanhar a aréola, descobrir posições diferentes para amamentar e ter à mão o contato de uma consultora de amamentação serão muito mais úteis do que esfregar os seios com a bucha.

Mas se seu bebê já nasceu e você está sofrendo com fissuras nos mamilos, fique calma. Há várias medidas que podem ser tomadas antes de pensar em recorrer a bicos de silicone, mamadeiras e copinhos:

 

–      A primeira providência é avaliar se a pega do bebê está correta. A boquinha deve estar bem aberta, com os lábios virados para fora, e abocanhar toda a aréola, e não só o mamilo. Veja aqui.

–      Mama muito cheia e endurecida pode dificultar a pega do bebê. Se, antes de amamentar, você perceber o seio duro e muito esticado, uma massagem rápida, ao redor das aréolas, com movimentos circulares dos dedos médio e indicador, seguida por uma breve ordenha (pouca coisa, cerca de um dedinho de leite) vai ajudar.

–      Caso esteja usando pomadas de lanolina, limpe completamente a aréola antes de amamentar, para que a boca do bebê não deslize.

–      Mudar a posição do bebê ajuda a aliviar a dor. Deitado na cama, de frente para você, ou segurando-o de forma “invertida”, por exemplo, a boquinha mudar de posição e poupar as regiões mais machucadas do mamilo.

 

Para ajudar na cicatrização, o segredo é manter a região sempre arejada e seca. Experimente:

 

–      Passar leite materno nas aréolas e deixar secar naturalmente. O leite tem propriedades cicatrizantes e hidratantes.

–      Ficar sem blusa sempre que possível, para arejar e evitar que o tecido grude onde as casquinhas estão se formando.

–      Expor os seios ao sol, de forma moderada.

–      Sessões de laserterapiade baixa potência, para cicatrizar e aliviar a dor e a sensibilidade.

 

E evite:

 

–      Conchas de amamentação, que mantêm a região úmida e comprimida. Podem aumentar o inchaço e criam um ambiente propício para bactérias e fungos como o da candidíase. Substitua pela concha de tecido – um paninho de boca formando uma rosquinha em volta do mamilo.

 

–      Bicos de silicone, que atrapalham a pega correta e podem levar ao desmame.

–      Cascas de frutas nos seios para cicatrizar, pois podem causar infecções e contaminação.

 

Além de todos esses recursos, tenha sempre em mãos o contato de uma consultora de amamentação, e não hesite em telefonar se tiver dificuldade. A amamentação é uma conquista que pode, e deve, ser prazerosa, mesmo que não se pareça com as imagens dos comerciais.

Se precisar de ajuda, estou aqui <3