Depoimentos

“Foram 45 dias de colo exclusivo, 24 horas por dia”

 

“Lucas é meu primeiro filho, e me preparei com muita leitura antes do nascimento dele. Uma concepção que eu tinha desde sempre era de que o bebê deveria seguir a rotina dos pais, e que para isso eu deveria acostumá-lo a dormir em qualquer lugar, na situação que fosse possível, para acompanhar nosso dia a dia. A teoria foi diferente da prática e Lucas, quando nasceu, não quis dormir nas condições que proporcionávamos.

Ele sempre adorou colo. Queria ficar bem grudadinho, e não ficava no berço. Foram 45 dias de colo exclusivo, 24 horas por dia. Eu, meu marido, meus pais e meus sogros nos revezávamos para carregá-lo, e quando ia para o berço, com sorte, dormia lá por no máximo 40 minutos.

No final desses 45 dias, quando meu marido ia voltar a trabalhar, comecei e ficar desesperada. Afinal, como eu poderia passar 24 horas por dia com o Lucas no colo, sem ninguém para dividir essa tarefa? Eu estava exausta e sabia que não conseguiria ir em frente com essa situação. Foi então que comecei a procurar ajuda.

Conheci a Sonia por intermédio da Casa Moara, que frequentei durante a gestação. Eu tinha certeza de que não queria aplicar o método Nana Nenê, pois achava muito cruel deixar meu filho chorando, e esse foi o primeiro questionamento que fiz a ela, que me tranquilizou e deixou claro que não é adepta do choro controlado.

Lucas nasceu em novembro, em uma época de muito calor, e ficava sempre com roupas fresquinhas, de body curto e meinha nos pés. Assim que começamos o atendimento, ela me passou as primeiras orientações, que foram os cuidados para deixá-lo mais aquecido na hora do descanso, e logo na primeira noite ele dormiu por horas seguidas no berço. Achei incrível, pois foi a primeira vez que não passei o dia todo com ele no colo. Em seguida a começamos a estabelecer a rotina diária. Foi um processo de muito carinho, muita compreensão e paciência. A Sonia mandava mensagens quando percebia que o tempo ia virar, avisando-nos para que agasalhássemos mais o Lucas durante a noite.

Estabelecer a rotina foi um processo longo. Levamos uns cinco meses para que tudo funcionasse perfeitamente, com as sonecas diurnas bem definidas, mas dormindo melhor durante a noite, foi mais fácil encarar o desafio. Instituir esse ritmo foi ótimo e ajudou demais minha família e principalmente o Lucas, que passou a ser uma criança muito feliz e muito boazinha.

As noites foram melhorando cada vez mais, e o sono em geral também. Hoje ele tem 10 meses e, por ser tão pequeno, nem sempre dorme a noite inteira. Mas passar por tudo isso nos ensinou bastante, e continuamos aplicando o aprendizado que tivemos lá atrás, há oito meses. Obrigada, Sonia, pelo ensinamento e apoio.”

 

Eliane, mãe de Lucas

“Marília e Helena tiveram ajuda para dormir sem técnicas de choro controlado”

 

“Quando procurei a ajuda da Sonia, a Helena tinha 45 dias de vida e só dormia no colo. Isso fazia com que eu tivesse que dormir sentada, no sofá da sala, com medo de que ela caísse dos meus braços. Se eu a colocasse no berço, acordava a cada 15 minutos, muito assustada. Eu me sentia esgotada, frustrada e temia adormecer profundamente enquanto a carregava. As sonecas diurnas, quando aconteciam, duravam no máximo 20 minutos.

Eu tenho horror aos métodos que incluem deixar o bebê chorando no berço, mas encontrei uma reportagem que afirmava que a consultoria do sono pode, sim, ser humanizada. A fonte da matéria era a Sonia, e logo enviei uma mensagem a ela, que confirmou que não utiliza técnicas de choro controlado.

Logo iniciamos com o swaddle (enrolar o bebê como um charuto, de forma a conter seus movimentos) e o som do útero, e em cerca de uma semana já comecei a notar os primeiros sinais de melhora na qualidade do sono da Helena.

7 meses depois, a Helena dorme de 3 a 5 horas seguidas, e esse tempo aumenta a cada semana. Durante o dia, suas sonecas, somadas, chegam a durar duas horas e meia. Além disso, aprendeu a dormir sozinha e no próprio berço. Isso não acontece todas as vezes, mas tem se tornado bastante comum. Basta que ela esteja calma, o ambiente escuro, a barriguinha cheia e o som de útero ligado.

Até hoje, com 8 meses, ela dorme com o som de útero para camuflar o barulho, já que temos dois pastores alemães que latem muito durante a noite. Assim que ela escuta esse som, já sabe que é hora de dormir.

Fico muito feliz e realizada de saber que cheguei até aqui. Parece um sonho.”

 

Maria, mãe da Helena

“A consultoria da Sonia vai muito além do sono. Eu diria que ela é uma consultora da vida”

 

Patricia procurou ajuda para lidar com o sono do filho Pedro, de 10 meses.

 

“Pedro sempre teve dificuldade para dormir bem, mas na fase dos 10 meses de vida isso se acentuou bastante. Ele despertava 10, 12 vezes por noite, e só se acalmava no peito. Minhas relações pessoais ficaram complicadas e eu estava sem humor para nada. Me sentia deprimida, sozinha e perdida. Eu não sabia para onde correr.

Estava esgotada e comecei a ter sintomas físicos, como tontura, olheiras tão profundas que de pretas estavam ficando esverdeadas e marcas roxas pelo corpo. E também me alimentava mal, pois não tinha disposição nenhuma para cozinhar. Emocionalmente, me sentia uma péssima mãe. Culpada por não saber o que estava fazendo de errado, e sem entender por que as outras crianças dormiam e o meu filho não. Ouvia diversos conselhos que me faziam sentir pior ainda. As pessoas diziam que ele estava mal acostumado por receber muito colo, que meu leite devia ter secado, que ele poderia estar com dor… Como solução, sugeriam que eu o deixasse chorando no berço e o levasse a um centro espírita. E ouvir de outras mães: ‘Meus filhos nunca tiveram problema para dormir’ me deixava muito pior.

No auge do meu desespero, digitei no Google: “ESTOU DESESPERADA MEU FILHO NAO DORME”, e foi assim que cheguei à Sonia. Após encontrá-la, pesquisei sobre sua formação e como funcionava seu trabalho e entrei em contato. Ela prontamente respondeu, e então iniciamos o trabalho.

Começamos a estabelecer a rotina de sono, reforçar a alimentação e o ritual da hora de dormir. Esses três pilares me ajudaram muito,  mas é injusto dizer que só isso ou aquilo deu resultado, porque a consultoria da Sonia vai muito além. Ela conversava comigo e tentava entender outras questões do dia a dia. Eu diria que ela é uma consultora da vida.

Em 4 ou 5 dias o Pedro já estava acordando bem menos. Hoje ele dorme por 9, 10 horas seguidas. Se acontece de acordar durante a noite, é geralmente por conta de um dente ou de uma virose nova chegando.

Passados seis meses do início do trabalho, olho para trás e chego a me emocionar, pois nem acredito em tudo que passei. Hoje eu durmo!!! Sim, eu durmo e acordo disposta para o dia. Minha relação com as pessoas melhorou bastante. Curto muito mais meu marido e consigo trabalhar e me cuidar melhor. CONSULTORIA DA SONIA É VIDA!!!”

 

Patrícia, mãe do Pedro