Permita que o pai desenvolva um jeitinho próprio para cuidar do bebê

Quantas vezes, desde que se tornou mãe, você se sentiu exausta e sobrecarregada pelos cuidados com o bebê? Falo muito sobre a importância da participação do pai durante toda a infância do filho, e principalmente no período de aleitamento exclusivo, que demanda muito da mulher.

Mas quantas vezes, desde que se tornou mãe, você abriu mão do controle para que as tarefas sejam “bem feitas” – leia-se: “feitas do seu jeito”? Você permite que o pai de seu filho, seja ele seu companheiro ou não, participe ativamente das pequenas decisões do dia a dia?

Vejo mulheres que sentem que “precisam” separar a roupa para o banho do bebê, dado pelo pai, porque “ele mistura as estampas”. Outras que preferem checar pessoalmente se a louça e a temperatura do jantar do pequeno estão apropriadas. As que acreditam que apenas elas penteiam a criança de forma satisfatória, e tantos outros preciosismos que tomam um tempo valioso e minam a confiança do pai em sua capacidade de cuidar de necessidades corriqueiras do filho.

Você se vê em alguma situação parecida com as que relatei? Se sim, gostaria que refletisse: essas pequenas coisas são assim tão importantes? Será que existe apenas uma maneira correta de resolvê-las? Vale a pena interferir e se chatear com elas?

A maternidade é um constante aprendizado, e saber aceitar maneiras diferentes de lidar com a rotina faz parte desse ciclo. Permita que o pai desfrute desse aprendizado e que exercite suas habilidades com leveza. E aproveite esses momentos entre pai e bebê para relaxar e cuidar de você!